Sobre omissões e jogos de poder

Tem tanta coisa boa (o material é bom, as notícias são péssimas) circulando sobre a tragédia ambiental em Minas Gerais que a gente precisa fazer um balanço:

1) a empresa está sendo omissa, e essa omissão está sendo encorajada pela omissão solidária das autoridades dos três poderes da República, nas três esferas de governo, bem como do Ministério Público;

2) existe um previsível jogo de contra-informações disseminadas por todo canto, e não precisa ser muito esperto pra saber quem está fazendo isso e porquê;

3) declarações como a do ex-enfartado prefeito de Mariana (“se a Samarco quebrar, Mariana quebra junto”) são de uma calhordice e obtusidade ímpares. Mariana JÁ QUEBROU, prefeito. E faz tempo. O senhor não percebeu porque ou é burro, ou está de má-fé. Quem não quebrou, muito ao contrário, foi quem causou o estrago, e o senhor, com uma declaração infame dessa, está colaborando para que a criminosa reincida à vontade e a cidade que o senhor governa, bem como os outros municípios em situação semelhante, continuem eternamente nesse estado de servidão, medo e impotência;

4) é notório que a grande maioria da população brasileira não está tendo a dimensão clara do tamanho do desastre que se abateu sobre o país. Mais um “ponto” para o trabalho da imprensa, que concentra 90% do noticiário em boletins com foco no local de rompimento da barragem, deixando de noticiar enfaticamente que o mar de lama despejado pela criminosa está atingindo de forma dramática milhares de pessoas que estão a centenas de quilômetros dali. Passam o tempo ouvindo declarações anódinas ou dúbias de “especialistas”. Olha, tem gente bastante capaz e muito interessada em falar claramente sobre os fatos e as consequências deles. Se eu consigo achar aqui no facebook, a imprensa também consegue. Nota: as exceções, como qualquer exceção, só servem para confirmar a regra.

5) Como tudo tem um lado bom, vou dizer algo que eu nunca imaginei que diria: para quem quer se informar direito sobre o desastre e seus desdobramentos, o facebook é o local. As matérias bem feitas da imprensa tradicional estão linkadas aqui. As mal feitas e encomendadas são criticadas duramente por quem entende do assunto. Comunicados oficiais vaselina são desmascarados com fatos e argumentos. Boatos estão sendo desmentidos (!). Os oportunistas estão sendo expostos. As autoridades estão sendo cobradas.

AJUDE A MANTER ESTE OBSERVATÓRIO

O Observatório da Mineração precisa do apoio dos nossos leitores para continuar investigando o que o setor mineral não quer que a sociedade saiba. E para seguir oferecendo acesso livre ao nosso conteúdo.

Hoje, as publicações do Observatório da Mineração podem ser lidas por qualquer pessoa, sem paywall (restrição de acesso), propaganda, banners, poluição visual e links intrusivos. Queremos continuar assim.

É possível apoiar de duas formas. No PayPal, faça uma assinatura recorrente: você contribui todo mês com um valor definido no seu cartão de crédito ou débito. É a melhor forma de apoiar o Observatório da Mineração. E você também pode fazer uma contribuição no valor que desejar via PIX, para o email: apoie@observatoriodamineracao.com.br (conta da Associação Reverbera).

Siga o site nas redes sociais (Twitter, Youtube, Instagram, Facebook e LinkedIn) e compartilhe o conteúdo com os seus amigos!

E buscamos novos parceiros e financiadores, desde que alinhados com o nosso propósito, histórico e perfil. Leia mais sobre o impacto alcançado até hoje pelo Observatório, as aulas que ministramos e entre em contato.

Sobre o autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.