O Observatório da Mineração preza por um jornalismo franco, crítico, direto. E técnico, sempre com dados, fatos, documentos, fontes. Mas sobretudo humano. Sempre humano.

Fundado em novembro de 2015, prestes a completar 7 anos, o site sempre se manteve com recursos próprios e de parceiros em projetos pontuais.

Somos independentes de partidos políticos. Não aceitamos anúncios de qualquer tipo e, portanto, não sofremos pressões editoriais do mercado. Não por acaso muitas pautas você só vê aqui.

Por isso, precisamos do apoio dos nossos leitores para continuar investigando o que o setor mineral não quer que a sociedade saiba. E para seguir oferecendo acesso livre ao nosso conteúdo.

Hoje, as publicações do Observatório da Mineração podem ser lidas por qualquer pessoa, sem paywall (restrição de acesso), propaganda, banners, poluição visual e links intrusivos. Queremos continuar assim.

Leia sobre como nossas matérias geraram reações do poder público, cobraram responsabilidade das empresas, revelaram questões inéditas e contribuíram para o debate sobre extrativismo e direitos socioambientais.

O jornalismo independente e livre está sob ataque no Brasil. Sem jornalismo não existe democracia.

Para apoiar o site e contribuir para que o nosso trabalho siga sendo feito, você pode colaborar de duas formas.

No PayPal, é possível fazer uma assinatura recorrente: você contribui todo mês com um valor definido no seu cartão de crédito ou débito. É a melhor forma de apoiar o Observatório da Mineração e, claro, você pode cancelar quando quiser.

Pessoas que moram fora do Brasil também conseguem apoiar pelo PayPal.

Use o botão abaixo ou vá pelo link direto.

Você também pode contribuir via PIX para uma doação esporádica com qualquer valor usando esta chave de email: apoie@observatoriodamineracao.com.br

O depósito é na conta da Associação Reverbera, ONG à qual o site está vinculado.

O jornalismo que não se curva aos interesses dos anunciantes agradece.

PERGUNTAS & RESPOSTAS

1 – Por que devo ajudar?

Jornalismo investigativo independente e voltado para o interesse público, não do mercado, como preza o Código de Ética jornalística, é uma raridade no Brasil.

Mineradoras, siderúrgicas, petroleiras e o setor extrativo em geral é formado por grandes anunciantes que gastam dezenas de milhões de reais na mídia corporativa, cujos donos, em parte, também são empresários, banqueiros, acionistas de mineradoras e políticos. Além disso, você precisa pagar para ler as matérias desses veículos.

O Observatório da Mineração, há quase 7 anos, pratica jornalismo sério sem aceitar a pressão desses anunciantes, visando os interesses da sociedade e sem cobrar pelo acesso ao conteúdo.

O impacto causado por nossas investigações é significativo (leia mais detalhes no link).

Ao ajudar o site, você ajuda a manter um projeto especializado que se tornou referência no Brasil e no mundo a seguir investigando temas de interesse fundamental como crise climática, impactos socioambientais, lobby em todas as esferas de poder, Amazônia, povos indígenas, conflitos por terra e água, o Executivo, o Legislativo e o Judiciário, direitos humanos, trabalhistas, direitos constitucionais, relações desiguais, análise crítica do mercado global de commodities e outros.

Essa é a melhor recompensa que podemos oferecer aos nossos leitores.

2 – Como o seu dinheiro será usado?

Jornalismo investigativo custa caro, caríssimo. E demanda uma dedicação integral de tempo. As doações, sobretudo, ajudam a manter os custos operacionais do site (burocracia, hospedagem, impostos, manutenção) e ampliam a possibilidade de apuração e divulgação de mais pautas, contratando freelancers e, a depender do volume de doações, mais jornalistas para a equipe fixa do Observatório.

3 – Privacidade dos dados

O Observatório da Mineração se compromete a manter absoluto sigilo de todas as informações financeiras e pessoais de cada doação. As doações recorrentes são feitas pela PayPal, sistema de pagamentos global que também mantém rígidos protocolos de segurança e privacidade. Nunca usaremos qualquer dado indevidamente.

4 – Jornalismo é fundamental para a democracia

Literalmente não existe democracia forte, com liberdade de expressão, garantia de direitos sociais e investigação sistemática, independente e séria do poder sem jornalismo.

Nos últimos anos, a frágil democracia brasileira passou a ser atacada diariamente. Desde 2016 e, especialmente com Jair Bolsonaro, o seu governo e os milhares de militares que se mantém no poder e expandiram os cargos que ocupam.

Independente do resultado das eleições de 2022, o bolsonarismo não passará. Ele representa parcela significativa do mercado, dos empresários, industriários e ruralistas, do judiciário, da classe política, da imprensa e da população.

Fortalecer o jornalismo independente é fundamental se queremos uma democracia minimamente sólida e aceitável.

5 – Jornalistas estão sob ataque permanente

Pelos motivos expostos no item anterior e por muitos mais, jornalistas investigativos sérios e independentes que se propõe a investigar a área socioambiental e setores como a mineração e o extrativismo estão na linha de frente.

Ataques diários, perseguição em redes sociais, ameaças diretas e indiretas, assédio moral e judicial, pressões econômicas, precarização, baixa remuneração, jornadas exaustivas, ausência de direitos e até assassinatos.

O custo profissional e pessoal de ser jornalista independente no Brasil é imensurável.

Sem o apoio dos leitores, de quem acredita que esse trabalho é fundamental para o país e o mundo, é impossível continuar.