4 anos depois e contra estudos, Vale e BHP investem em propaganda para negar que o Rio Doce segue contaminado

A disputa de narrativa sobre os impactos causados pelo rompimento da barragem de Fundão em Mariana (MG), de propriedade da Vale e da BHP Billiton, começou no mesmo instante em que os 40 milhões de metros cúbicos de lama tóxica se espalharam por 600km até o litoral do Espírito Santo e da Bahia. Desde 05 […]

Leia Mais