Agroflorestas podem contribuir para a recuperação das bacias hidrográficas do Rio Doce

Sistema, implantado a baixo custo, gera mais de 20 impactos ambientais positivos

Independente dos trâmites na justiça e do pagamento das multas e indenizações devidas, que foi adiado sem previsão, o meio ambiente não pode esperar e soluções para a recuperação da bacia hidrográfica do Rio Doce são urgentes. Entre elas, a adoção de modelos de produção sustentáveis pelos produtores rurais, caso das agroflorestas, é uma das principais. As agroflorestas atuam de maneira ampla e podem ser aplicadas em todos os tamanhos de propriedades, com investimento inicial acessível, entre R$500 e R$2.000, de acordo com o perfil. De grãos e hortifrútis a madeira, carne e leite, as agroflorestas diversificam a produção, aumentam a biodiversidade, ajudam os lençóis freáticos a aumentar seu volume e tornar mais vigorosas as nascentes, melhoram o uso da terra e contribuem para a recuperação de todo o ecossistema ao seu redor.

O Projeto Pecuária Neutra, que desenvolveu uma plataforma capaz de proporcionar mais de 20 serviços ambientais, com destaque para a neutralização da principal fonte de emissões dos gases de efeito estufa da pecuária de corte e de leite, trabalha em parceria com os presidentes das sub-bacias que compõem o Rio Doce, em especial a sub-bacia do rio Caratinga e sub-bacia do rio Manhuaçu, no caminho para uma agricultura e pecuária mais sustentável, consciente do seu impacto e capaz de contribuir para a regeneração do meio ambiente.

Ronevon Huebra, presidente da sub-bacia do Rio Caratinga, foi um dos primeiros apoiadores das agroflorestas como uma ferramenta estratégica para a recuperação do Rio Doce. Segundo ele, “hoje temos a oportunidade de que o crime ambiental sirva de alguma forma para que possamos fazer uma contribuição a toda a bacia hidrográfica e torná-la mais produtiva e sustentável do que antes”. Huebra destaca que através das agroflorestas é possível trabalhar o aspecto ambiental, social e econômico da região, beneficiando principalmente os produtores rurais e a comunidade da bacia. Com esse foco, o Comitê da Sub-Bacia do Rio Caratinga assinou um termo de colaboração mútua com o Projeto Pecuária Neutra para criar um canal aberto de troca de experiências em prol do desenvolvimento sustentável, incluindo palestras informativas e transferência de tecnologia.

Ao aumentar a eficiência das propriedades rurais, as agroflorestas contribuem para diminuir a pressão sobre a expansão agrícola e a necessidade de abertura de novas áreas de mata nativa, além de reduzir a possibilidade de erosão e lixiviação do solo e outras vantagens.

Conheça os possíveis impactos do uso de agroflorestas:

agroppn

Saiba mais detalhes sobre o sistema, busque informação e cobre das autoridades locais o incentivo à agricultura e pecuária sustentável.

 

*O post acima é um publieditorial, que reflete o apoio do Miniver a iniciativas que contribuam para a recuperação de toda a bacia do Rio Doce, a agricultura familiar e responsável e soluções ambientais completas que podem influir decisivamente na regeneração da natureza em uma economia solidária e conscientemente produtiva, além da absoluta transparência na nossa atuação.

Maurício Angelo

Jornalista investigativo especializado em política, Amazônia, mineração, conflitos socioambientais, povos indígenas e direitos humanos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *